Blog

May/2022 - Você confia na avaliação de riscos da sua organização? Ela é efetiva e eficiente?

Você confia na avaliação de riscos da sua organização? Ela é efetiva e eficiente? Como a área de gestão de riscos pode se certificar de que suas avaliações de risco estão sendo efetivas e eficientes? Nesse artigo listamos 5 dicas importantes para evitar os principais equívocos no momento de avaliar seus riscos corporativos.

April/2022 - Mapa de calor é eficiente para analisar riscos?

Há muito e muito tempo atrás, provavelmente no período das grandes navegações, os riscos começaram a ser analisados com base em probabilidade (frequência) e impacto (consequência ou severidade). Frequentemente são avaliados por meio de matrizes de riscos com pontuações que se somam ou multiplicam, sendo atribuídos a uma cor (normalmente verde, amarelo e vermelho). Embora isso torne a avaliação de risco rápida, simples e objetiva, na verdade é uma prática com baixo valor agregado, ultrapassada à luz da ISO 31000:2018 e pode até induzir a erros. Essa prática precisa ser substituída ou complementada por outras técnicas para que a compreensão dos riscos, na etapa da análise dos riscos, seja útil para balizar boas tomadas de decisão.

April/2022 - Norma de Continuidade de Negócios ISO 22301

   O Padrão Internacional para Continuidade de Negócios (ISO 22301) publicado inicialmente em 2012 vem possibilitando que muitos países ao redor do mundo adotem formalmente o Padrão de Continuidade de Negócios da ISO, permitindo maior consistência e atendendo melhor às necessidades de organizações globais.

January/2022 - Modelo das três linhas integrado à ISO 31000

Novo e-Book publicado pela Plataforma t-Risk | Modelo das três linhas integrado à ISO 31000: uma abordagem em governança e gestão dos riscos corporativos | A orientação da norma ISO 31000, valiosa quanto a princípios e processos, diz pouco sobre a estrutura ideal para uma dada empresa e como seus membros irão se relacionar. Essa lacuna é plenamente suprida pelo modelo das três linhas. A integração de ambos promove uma gestão de riscos coordenada e coerente, ajustada à cultura da organização.

December/2021 - A tecnologia que está mudando a forma como as empresas enxergam os riscos

O desenvolvimento do software t-Risk teve como base a aliança sólida entre conhecimentos teóricos e práticos, buscando inspiração teórica em métodos consagrados e globalmente conhecidos como, por exemplo, método Mosler, método cartesiano, princípio de Pareto, entre outros, com foco e olhar atento à realidade brasileira, com suas sui generes especificidades. O método automatizado por nossa ferramenta é uma síntese dos conhecimentos teóricos e práticos adquiridos em quase três décadas de estudos e atuação prática em ambientes como, por exemplo, o Exército Brasileiro, o mercado de prestação de serviços de segurança eletrônica e vigilância, consultoria de segurança empresarial, gestão da segurança da informação e gestão empresarial interna e externa (no mercado de segurança) de empresas de grande porte, nacionais e internacionais.

September/2021 - Usted, ¿Está preparado para ser el futuro CRO de su organización?

Ante la pandemia de Covid-19, el mundo entero tuvo que adaptarse rápidamente a una nueva realidad sanitaria y económica. Riesgos que antes eran impensables comenzaron a exigir un perfil más anticipatorio y estratégico por parte de los gestores de riesgos. Este escenario ha llevado a las organizaciones a crear, a nivel gerencial, el cargo de Chief Risk Officer (CRO), ocupado por un profesional que entiende los riesgos como un medio para lograr los objetivos de la organización.

April/2021 - Você está preparado para ser o futuro CRO da sua organização?

Diante da pandemia de Covid-19, o mundo todo precisou se adequar às pressas a uma nova realidade sanitária e econômica. Riscos antes impensáveis passaram a exigir, dos gestores de riscos, perfil mais antecipatório e estratégico. Esse cenário tem levado as organizações a criarem, no nível de direção, o cargo de Chief Risk Officer (CRO), ocupado por profissional que entende os riscos como meio para atingir os objetivos da organização.

August/2020 - Reconhecimento profissional através das certificações

Você já pensou em aumentar seu reconhecimento profissional - na área de gestão de riscos de segurança corporativa - através de certificações e credenciais? Provavelmente sua resposta será sim! A Plataforma t-Risk passou a emitir uma Badge específica para os profissionais que se destacam nessa área de atividade e utilizam a Plataforma t-Risk para elaborarem suas avaliações de riscos de segurança corporativa.

August/2020 - Riscos decorrentes da não integração das áreas de segurança em uma organização

A segurança da sua empresa é feita de forma integrada e integral? Sabia que os ataques e invasões causam danos à infraestrutura das organizações, tanto no mundo cibernético quanto no físico, e a terceiros também, como fornecedores e clientes. Eles também atraem a atenção dos órgãos governamentais e mistos. Com esses fatos em mente, a prevenção e o gerenciamento de RISCOS devem ser realizados de forma integral através da segurança ciberfísica
 

July/2020 - Apetite ao risco & Tolerância ao risco. Qual é a diferença?

Os termos apetite ao risco e seu primo próximo tolerância ao risco são frequentemente mal compreendidos, muito raramente usados ​​com bons resultados e comumente usados ​​de forma intercambiável. Semelhante à palavra risco você pode encontrar diversas definições diferentes para esses termos. Conheça algumas definições potencialmente úteis para sua empresa! 

July/2020 - ROI na gestão de riscos de segurança corporativa e definição de vocabulário

Sua organização já definiu um vocabulário comum para os temas de gestão de riscos de segurança? Entenda como essas definições poderão contribuir com o ROI positivo dos projetos de gestão de riscos de segurança corporativa. 

June/2020 - Risco inerente versus Risco residual

Em diversas ocasiões nos deparamos com o cliente tendo dúvidas sobre os termos “risco inerente” e “risco residual” e respectiva relação entre eles.  Ao realizar uma avaliação de risco, o primeiro passo é identificar o risco inerente e, em seguida, considerar os controles eficazes e eficientes para chegar ao risco residual. 

November/2015 - Livro: GESTÃO DE RISCOS NA SEGURANÇA PATRIMONIAL - Um guia para empresários e consultores

Um guia para empresários e consultores
 
Autor: Tácito Augusto Silva Leite